Home / Meio Ambiente / Vacinar meu animal de estimação é realmente importante?

Vacinar meu animal de estimação é realmente importante?

A vacinação é a melhor forma de proteger seu pet contra doenças infecciosas, causadas por vírus, bactérias e outros micro-organismos e assim garantir sua vida saudável. Além de proteger os animais você está se protegendo, pois existe algumas doenças que são zoonóticas, isto é, doenças que são transmitidas do animal para o homem, dentre essas as mais importantes são raiva, leptospirose e leishmaniose.
Vamos conhecer um pouco mais sobre os tipos de vacinas e suas proteções.

Vacina contra raiva
O vírus da raiva provoca morte de todos os indivíduos infectados, sendo uma doença que não existe tratamento, mas é possível prevenir a sua aparição através de vacinas para seus pets.
A vírus da raiva, ainda que tenha sido erradicado,ela se apresenta em muitos locais do globo.
Você já ouviu falar que agosto é o “mês do cachorro louco” ? Provavelmente sim, mas você sabe o que significa essa expressão? Existem várias teorias, mas segundo alguns médicos veterinários, no mês de agosto a concentração de cadelas no cio aumenta e quando as cadelas estão em seu período fértil, os cachorros acabam disputando a mesma fêmea e muitas vezes essa conquista pode acabar em briga, fazendo com que a raiva se espalhe mais facilmente entre os cães, mas não temos dados específicos sobre esse fato, porém ele faz sentido.

A raiva é uma doença que é transmitida através da saliva, quando em contato com as fibras nervosas por meio de uma mordedura. O período de incubação depende do ponto de entrada, quanto mais afastado estiver do sistema nervoso central mais longo será seu período, podendo chegar até uma ano.

Alguns sintomas desta doença pode ser: babar em excesso, convulsão, sensibilidade exagerada no local da mordida, excitabilidade, perda de sensibilidade em uma área do corpo, perda de função muscular, febre baixa, espasmos musculares, entorpecimento e formigamento, dor no local da mordida, agitação e ansiedade, dificuldade de engolir.
A melhor forma de prevenir seu animal dessa doença é a vacinação, essa vacina ela é gratuita no Brasil e seu controle é feito pelo centro de Zoonoses de sua região, essa vacina tem que ser ministrada pelo menos uma vez por ano.

Vacina polivalente
As vacinas polivalentes são de extrema importância para a saúde de seu pet, essas vacinas são aplicadas uma vez por ano em cães ou gatos adultos, sendo que em filhotes a partir do seu segundo mês de vida cães e gatos tem que tomar 3 doses, uma por mês.
A única forma de garantir a saúde de seu pet e por meio das vacinas, vamos conhecer um pouco quais são as proteções que essas vacinas polivalentes previne.
As vacinas mais usadas no mercado veterinário são as vacinas V8 e V10 para cães e para os gatos são V3, V4 e V5.
A diferença entre as vacinas V8 e V10 dos cães são quatro tipos de leptospirose, para casa um existe um tipo antígeno específico, ambas protegem o pet contra 7 doenças, mas a V8 protege contra a leptospira canicola, e a leptospira icterohaemorrhagiae, enquanto a V10 inclui os antígenos para leptospira grippotyphosa e leptospira pomona.
Cinomose, essa doença é uma doença sistêmica, ou seja, pode atingir vários órgãos, sendo uma doença viral que é passada de uma animal para o outro, seus principais sintomas são perda de apetite, corrimento ocular e nasal, diarréia, vômito, convulsões que pode levar o animal a óbito.
Hepatite infecciosa canina, essa doença é transmitida para o cão por meio de secreções, excrementos e sangue infectado pelo adenovírus, seus sintomas são: febre, dor abdominal, vômitos, ataques convulsivos, depressão e coma.

Adenovirose, essa doença ataca o sistema respiratório, dando abertura para a entrada de outras doenças mais graves.

Coronavirose, essa doença doença é encontrada nas fezes dos animais infectados, os sintomas dessa doenças são: crises de vômito e diarreia, febre, fezes com sangue, depressão, perda de apetite e desidratação, podendo levar o animal a óbito.

Parainfluenza canina, essa doença é transmitida pelo contato direto com um animal infectado e outro sadio, seus sintomas são: tosses graves, secreções, febre e coriza, além de debilitar o corpo do animal.

Parvovirose, uma das doenças mais letais em filhotes, ela é transmitida pelo contato de fezes de uma animal infectado com um sadio, pode ocorrer a morte súbita em filhotes aparentemente saudáveis.

Leptospirose canina, essa doença é uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida para seu tutor, o contágio dessa doença e por meio de urina de ratos e os seus sintomas são desanimo, vômitos e hemorragias, podendo levar o animal a morte.

Vamos entender agora um pouco sobre as vacinas V3 (Tríplice), V4(Quádrupla) e V5(Quíntupla) para gatos e suas diferenças.
A primo-vacinação, que são as primeiras vacinas de seu animalzinho, deve ser feita em 2 ou 3 doses com intervalo de 21 à 30 dias. A vacinação inicia a partir dos 60 dias de vida, é muito importante desvermifugação, pois o animal para ser vacinado necessita estar bem de saúde, não apresentando nenhum sinal de doenças, entre eles diarreia, vômito, febre, falta de apetite, apatia, entre outros. Se o filhote apresentar verminose, este pode estar debilitado devido aos vermes presentes no seu organismo, não respondendo adequadamente a vacinação.

“A vacinação inicia a partir dos 60 dias de vida. É muito importante a desvermifugação, pois o animalzinho para ser vacinado necessita estar bem de saúde, não apresentando nenhum sinal de doenças, entre eles: diarreia, vômito, febre, falta de apetite, apatia, entre outros. Se o filhote apresentar verminose, este pode estar debilitado devido aos vermes presentes no seu organismo, não respondendo adequadamente a vacinação.

O “amigo de patas” deve permanecer em “quarentena” até 15 dias após a segunda dose da vacina. É importante ressaltar a quarentena, pois o filhote somente estará protegido dos agentes externos neste período. Na quarentena inclui banho em Pet Shops, passeios em praças e na rua; não deve ter contato com animais doentes e/ou sem vacinas.

A revacinação é anualmente.
A diferença entre as polivalentes V5, V4 e V3 veremos abaixo.
V5 (Quíntupla)
A vacina polivalente V5 é chamada assim, devido ao número de doenças a qual ela previne, sendo-as: Panleucopenia, Complexo da Gripe (Rinotraqueíte, Calicivirose, Clamidiose) e Leucemia. É a mais completa do mercado.

O que diferencia esta das outras é a proteção contra a Leucemia Felina, que é uma doença grave e incurável, ela tem caráter imunossupressor, ou seja, predispõe o felino a adquirir diversas outras enfermidades, também chamada de AIDS felina.
Importante vacinar animais que têm acesso a rua ou que recebem visitas de outros gatos no ambiente em que vivem, pois estes estão mais sujeitos a contrair a doença. Gatos que tem dono “gateiro” também é muito importante, devido ao contato frequente com gatos novos, que podem ou não ter a doença.
V4 (Quádrupla)
A vacina polivalente V4 previne a: Panleucopenia e Complexo da Gripe (Rinotraqueíte, Calicivirose, Clamidiose).
Esta polivalente não apresenta a Leucemia, mas se diferencia da V3 pela Clamidiose. Esta doença acomete o sistema respiratório causando uma infecção crônica em gatos, se caracteriza por conjuntivite, sinais respiratórios e pneumonite.
De acordo com a literatura, a Clamidiose tem potencial zoonótico, ou seja, pode causar conjuntivite em humanos.
V3 (Tríplice)
A vacina polivalente V3 previne a: Panleucopenia e 2 doenças do Complexo da Gripe, (Rinotraqueíte e Calicivirose).
Esta é a vacina mais simples, mas não menos importante. Promove proteção a doenças respiratórias (Rinotraqueíte e Calicivirose) e a Panleucopenia, também chamada de”Parvovirose Felina”, por produzir quadros de diarréia e desidratação que pode evoluir rapidamente para o óbito.

Manter as vacinas em dia é um ato de amor e cuidado, que faz toda a diferença para a saúde, bem-estar e qualidade de vida dos animais, assim como daqueles que convivem com eles.

Autor do Artigo – Alessandro Almeida

Sobre admin

admin

Veja também

Cachorros em apartamento: saiba tudo sobre seus direitos e deveres

Cachorros em apartamento: saiba tudo sobre seus direitos e deveres Cachorros podem ou não viver …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *