Amazonas em Alerta!

Amazonas vive em um estado de eminência, sem leitos de Uti e situação de colapso no sistema de saúde, com falta de respiradores, o governo do Amazonas está equipando hospitais do estado lotados com pacientes infectados pelo corona vírus, com contêineres frigoríficos para acondicionamento de corpos das vítimas da doença.

Com a situação de colapso no sistema de saúde, o governo já prevê “convulsão” e “revolta”. Na quinta-feira, vídeo divulgado por profissionais do plantão do hospital da rede estadual João Lúcio, em Manaus, repercutiu nas redes sociais e assustou a população.

O vídeo mostra pacientes e corpos dividindo o mesmo espaço. Quem filma circula entre os leitos com corpos dispostos lado a lado. O vídeo mostra ao menos dez mortos. Na sexta, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), em entrevista à Rádio Tiradentes, em Manaus, afirmou que todas as unidades hospitalares da capital passarão a contar com contêineres frigoríficos para abrigar corpos de vítimas da covid-19.

Ele afirmou que pleiteou no Ministério da Saúde 150 respiradores, mas recebeu indicação de que terá somente 50. O estado do Amazonas concentra mais da metade dos casos da covid-19 na Região Norte. O Amazonas registrou mais 110 casos de Covid-19, nesta terça-feira (21), e alcançou um total de 2.270 casos confirmados do novo corona vírus, segundo boletim da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). Também foram confirmadas mais oito novas mortes por Covid-19, totalizando 193 mortes no Amazonas.

O governador afirmou que pretende impor maior rigor ao isolamento social e ao funcionamento do comércio. Citou como exemplo o município de Parintins, a 360 quilômetros de Manaus, que adotou toque de recolher e tem menos registros da doença. De segunda-feira (20) para esta terça-feira, mais 91 pessoas se recuperaram da doença e estão fora do período de transmissão do vírus, totalizando, agora, 726 recuperados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.