Moro: sair ou não sair, eis a questão?

O dia de hoje foi repleto de novas emoções, as vitrines foram posicionadas para outra peça do xadrez, eis que surge o ídolo da lava jato, o excelentíssimo ex juiz Sergio Moro.

Tudo devido, ao comunicado do Presidente Bolsonaro decidiu trocar o diretor geral da polícia federal ocupada pelo Mauricio Valeixo, pois já havia tentativas anteriores de troca, mesmo com conscientização de Moro, porem o ministro da justiça que então procurava fazer.

A notícia de que Bolsonaro iria indicar o substituto, caiu como uma jaca! Deixando o palácio divido em acusações e limites de indicações deixando um clima indigesto. Tanto que repercutiu em todos os canais, que até o ex-decano, da força tarefa da lava jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, saiu em defesa do ex juiz.

“Moro deve sair. Bolsonaro não é correto, não tem palavra, deixou o ministro sem qualquer apoio no Congresso tanto nas medidas contra a corrupção quanto durante o episódio criminoso da Intercept, e nunca foi um real apoiador do combate à corrupção” escreveu ele na sua página do facebook.

Durante o dia todo o presidente tentou não comentar nada sobre o assunto, deixando ainda mais um clima de tensão no ar, abrindo espaço para que a oposição cite que Moro tenha pedido as contas, se o presidente vier a impor outro nome para o lugar, já que o ministro não aceita a troca de cima para baixo.

Ouvindo todo esse impasse, marcaram então nesta tarde uma reunião da qual foram convocados ministros da casa civil e da secretaria do governo, para abaixar o fogo e apaziguar esse alvoroço, fazendo com que ambas as partes chegassem a um acordo.

Bom se houve acordo ou não só as paredes do casarão vão refutar, e se sair ou não sair virou questão, só nos resta ver qual peça do xadrez será recuada ou melhor separada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.